Voltar ao meu azul

 

 

 

 

 

Dress Zara, from last Summer (it’s actually a shorts-dress kind of thing). Shoes Converse and Sunglasses Cavalli.

 

[scroll down for English]

 

Quando me perguntam de onde sou, normalmente a seguir veem duas perguntas: “Estás aqui há muito tempo?” e “Vais a casa muitas vezes?”

A esta segunda pergunta tenho a sorte de poder dizer que sim (nem que seja fim de semana porlongado), e é que apesar de viver na Escócia há 4 anos e sentir que este também é a minha casa, nao há nada que substitua a cidade o clima a luz e o cheiro do país onde nasci mas o que mais saudades tenho: o imenso azul.

Há umas semanas estive de novo em casa e nesta ocasiao veio comigo uma amiga do México pelo que tive a oprtunidade de fazer de turista na minha própria cidade e tirar fotos onde normalmente nao tiro. Há cidades nas quais nos vivemos bem. Há cidades nas quais nos sentimos em casa.

PS: Adoro retrosarias antigas. As milhentas caixas perfeitamentes arrumadas naquela desorganizacao organizada num par de metros quadrados onde se pode encontrar practicamente tudo o possível e imaginario. E os comerciantes? Senhores (e senhoras) que parecem estar a antendernos desde sempre e conhecem a loja como a palma da sua mao! Neste caso eu andava a procura de penas, mas nao tinham a cor que eu queria. Acabei por encontrar na Amazon. O imperialismo da internet ganhou, mas eu continuo a adorar retrosarias antigas!

¤¤¤¤

I am lucky enough to be able to go back home very often. Few days ago I spent a week in Lisbon and I served as a tourist guide for a friend from Mexico. I felt in love with my city again. It’s unbelievable how we take our riches for granted! 

Watch the photo taken indoors. This is one of the very traditional and antique shops in Baixa in Lisbon. They sell everything you can imagine! Except for lilac feathers. This time I had to run to Amazon for my fascinator, but I will never dismiss the power of my local shop and the lovely contact with their vendors.

Leave a Reply